Quem pode participar no estudo?

Em fase de internamento
Após a entrada dos indivíduos que sofreram TCE nos serviços de neurocirurgia dos hospitais participantes, é feita uma sinalização do caso por parte dos médicos responsáveis e, numa primeira abordagem, é explicado oralmente, por um técnico de saúde (enfermeiro, assistente social ou médico designado), ao cuidador do indivíduo que sofreu a lesão, quais os objectivos a que o estudo se propõe e a sua importância.


Em fase de alta hospitalar
No caso de vítimas de TCE em fase de pós alta, convidamos a que nos dêem o seu testemunho de progresso e de acontecimentos de vida desde o traumatismo, para que todos possamos aprender, crescer com a experiência dos outros e fazermos com que a Associação Novamente nos defenda e represente cada vez melhor.
Como participar

Casos internados
Caso aceite participar, o cuidador assina a folha de autorização e o técnico de saúde responsável pelo contacto preenche os restantes campos. O departamento do Serviço responsável pelo encaminhamento do processo do indivíduo que sofreu a lesão envia a folha de autorização assinada pelo cuidador do TCE para os investigadores da Associação Novamente que iniciará um levantamento da realidade e busca de boas práticas em Portugal.


Casos em alta hospitalar
Contacte-nos directamente para: geral@novamente.pt
ou qualquer dos nossos números de telefone e conte-nos a sua experiência desde o traumatismo: 912 869 000 / 961 335 142
O cuidador e/ou vitima de TCE será contactado telefonicamente 3 vezes durante o espaço de um ano: aos 4, 8 e 12 meses após a lesão, pela investigadora ou por outro profissional da Associação Novamente por ela orientado, a fim de responder às questões desenhadas em conjunto com o hospital. O tempo de resposta às questões ronda os 10 minutos.